Geraldo Alckmin vira réu pela acusação de receber propina da Odebrecht

O ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, se tornou réu nesta quinta-feira (30), acusado de receber propina milionária da construtora Odebrecht. De acordo com a denúncia, que foi aceita pela Justiça Eleitoral de São Paulo, Alckmin utilizou os recursos ilegais em campanhas nos anos de 2010 e 2014.

As investigações apontaram que o ex-governador recebeu R$ 11,5 milhões. O político é acusado de caixa 2 eleitoral, corrupção e lavagem de dinheiro. Alckmin foi citado por diversos delatores ligados a empreiteira. De acordo com a investigação, ele foi descrito nas planilhas de propina com os codinomes “pudim”, “bolero” e “pastel”.

O juiz Marco Antonio Martin Vargas, da 1ª Zona Eleitoral de São Paulo, entendeu que existem “materialidade suficiente” na acusação feita pelo Ministério Público para que a denúncia fosse aceita. O repasse de propina teria sido intermediado por Adhemar César Ribeiro, cunhado do ex-governador.

Por ter mais de 70 anos, o cunhado de Alckmin não deve responder pelos crimes, pois o prazo de prescrição já correu. Os repasses ilegais fariam parte do plano da empresa para ganhar influência no governo de São Paulo.

Correio Braziliense

Quinca Remígio

Formado em jornalismo pelas Faculdades Integradas de Patos-PB (FIP) e radialista na Escola Técnica de Sousa-PB pelo Sindicato dos Radialistas da Paraíba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *